Caninde Revista do MAX e1607217334956

O Projeto Arqueológico de Xingó editou, entre 1997 e 1998, 14 números de sua publicação seriada CADERNOS DE ARQUEOLOGIA que, apesar das limitações de forma, cumpriram seu papel na divulgação de partes do relatório do salvamento arqueológico realizado nessa área do Baixo São Francisco.

Quando da criação, pela Universidade Federal de Sergipe, do Museu de Arqueologia de Xingó – MAX, e da elaboração do seu plano qüinqüenal de consolidação e desenvolvimento, foi prevista a continuidade de publicação dos CADERNOS. A realidade do Museu mostrou, todavia, a necessidade de ser dado um salto de qualidade em sua publicação seriada, com apresentação compatível com a posição do MAX no cenário científico nacional e capaz de agregar a produção técnica dos seus arqueólogos e de outros centros de pesquisa do país e do exterior.

Assim, em substituição aos Cadernos de Arqueologia, nasceu a Canindé – Revista do Museu Arqueológico de Xingó (2001-2008), com um número anual e constituída de artigos, notas e resenhas. Destina-se à divulgação, sobretudo, de trabalhos na área de Arqueologia, sem esquecer temas correlatos de Geografia, Antropologia, História e outros de interesse.

A publicação da nova revista tornou-se possível graças ao patrocínio da PETROBRAS e ao expressivo apoio financeiro da Prefeitura Municipal de Canindé de São Francisco e da CHESF/Programa Xingó.

Acessar resenhas publicadas em Canindé – Revista do Museu de Arqueologia de Xingó

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.