O presente dossiê da Revista Manduarisawa intitulado “História, Conflitos e Experiências Agrárias”. O mesmo foi organizado em parceria com o Professor Me. Prof. Luiz Antonio Nascimento de Souza1 e reúne um conjunto de artigos compostos por pesquisadores (as) de todo o país. A seguinte temática visa reunir debates entorno da questão agrária em suas múltiplas dimensões, destacando a história das lutas pela terra, os conflitos fundiários em suas dimensões latino-americanas, nacionais, regionais e locais. As vivências nesses espaços incluem as lutas pela manutenção e preservação dos costumes e modos de vida por parte das populações ribeirinhas, quilombolas e indígenas, bem como relatos de experiências peculiares que têm o mundo rural e agrário como tecido social.

Neste sentido este dossiê tem objetivo de busca ao debate, análises de assuntos relacionados as questões agrárias, não se pode pensar em ruralidades sem se levar em conta as suas dimensões conflitivas em torno de todo o país, o embate secular pela luta pela terra, os conflitos agrários, a expulsão de centenas de famílias de suas terras provocadas pela expansão da fronteira agrícola e a violência no campo que em dez anos provocou o assassinato de mais de mil e novecentas pessoas, em sua maioria absoluta lideranças sociais, lideranças indígenas, assessores e defensores dos direitos humanos no campo.

Os artigos presentes na edição “História, Conflitos e Experiências Agrárias” começam com os artigos da temática do Dossiê, entre eles: “Disputas no interior da questão agrária no Brasil” por Émerson Dias de Oliveira; “O princípio da função social no Estatuto da Terra e o processo de desapropriação da Fazenda Annoni, no Norte Sul Rio-Grandense” por Simone Lopes Dickel; “Cultura política indígena e violência no alto Solimões: o caso do massacre do capacete (1988-2001)” por Tamily Frota Pantoja e “A etnia tenharim e a retomada dos direitos usurpados: uma leitura sobre os antagonismos entre a etnopolítica e os interesses capitalistas” por Jainne de Castro Bandeira.

Este dossiê também é composto por artigos livres, entre eles: “Civilização, Ocidente, “clássicos” e eurocentrismo: é possível uma ecologia de saberes para a História da Historiografia e a Teoria da História?” por Matheus Vargas de Souza; “O projeto civilizador de Pombal: uma discussão sobre a imposição do vestuário às sociedades indígenas da Amazônia em meados do século XVIII” por Caroline Almeida Gaspar; “Embates pela Igreja: Clero regular e clero secular no espaço luso-amazônico” por Isabela Cristina Botelho Senna Albuquerque; “Anjinhos inocentes: A morte infantil no Amazonas entre os séculos XIX e XX” por Fábio Augusto de Carvalho Pedrosa e “A implementação do juizado de menores no Amazonas (1930-1950)” por Maria Vitória Castro Brasil.

Agradecemos a participação de todos os pesquisadores e pareceristas envolvidos neste Dossiê e enfatizamos que a Revista Manduarisawa disponibiliza de um espaço aberto para divulgação e interação de vários estudos, com intuito de enriquecimento da historiografia.

Desejamos uma ótima leitura para todos (as)!

Nota

1. Professor Adjunto e doutorando do Curso de História Social da Universidade Federal do Amazonas.

Cordialmente,

Conselho Editorial – Revista Manduarisawa.


CONSELHO EDITORIAL. Apresentação. Manduarisawa, Manaus, v.3, n.2, 2019. Acessar publicação original [DR].

Acessar dossiê

 

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.