Em 1937, um grupo de intelectuais modernistas, mormente arquitetos, ligados ao Ministro Gustavo Capanema, criou o Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Sphan) com uma articulação discursiva para a proteção legal de bens culturais sobretudo do período colonial. O Sphan ancorava-se na intenção de localizar e valorizar os suportes da nacionalidade, seja por meio…

Leia Mais