A Revista Mnemosine vem a público em 2015.4 com a temática da Americanidade em suas páginas. Refletir sobre a América hoje é tarefa fundamental para cientistas sociais, momento em que mais uma daquelas crises econômicas ditas “globais” nos atinge com suas particularidades, mas também com suas generalidades, tornando-se, como quase sempre, política e social. Os autores tiveram total liberdade para tratar a temática de forma bem ampla, sem limitações de temas específicos dentro dessa generalidade, pois acreditamos que somente a criatividade e o livre pensar poderá nos ajudar nesses tempos difíceis.

Ival de Assis Cripa nos leva ao período da conquista da América e recupera visões de autores fundamentais para se compreender a América Latina, mais especificamente o já conhecido autor mexicano Octavio Paz e o pensador contemporâneo Serge Gruzinski, não somente confrontando o pensamento de ambos, mas também de Tzvetan Todorov.

José Pereira Júnior apresenta reflexões sobre a chegada do espiritismo da França para a América Latina, focando particularmente o Brasil pelo fato de melhor acesso à documentação e número de adeptos. A trajetória religiosa de Allan Kardec até Fancisco Xavier e Divaldo Franco é central no artigo, na medida em que é vista também como forma de resistência à hegemonia católica na América Latina.

Edfaildo Eudes de Lima Amaro nos traz um tema aparentemente já muito estudado por historiadores, ou seja, a figura de Evita Perón e sua mitificação. A maior novidade de seu trabalho reside, no entanto, em explorar a imagem de Evita ainda hoje no ciberespaço, através da Fundação Eva Perón, criado para que a mesma não seja esquecida e, ao mesmo tempo, fornecendo uma documentação nova para historiadores distantes dos arquivos argentinos.

Celso Gestermeier do Nascimento e Hilmaria Xavier Ribeiro procuram contribuir em dois aspectos com Mnemosine: tanto numa discussão acerca do uso de fontes para o historiador – filme, romance, músicas – quanto a respeito da memória do fato histórico. E isso é feito a partir da percepção política e do transcorrer das diferentes perspectivas de tempo para os principais personagens do filme “A casa dos espíritos”.

Adriano Díez Jiménez está preocupado com as migrações de colombianos que tem aumentado para a província de Sevilha, na Espanha e de como eles são submetidos a duras condições de vida e de sucesso econômico proporcionando-nos, também, reflexões acerca de metodologia de trabalho e da formação / ou não de laços sociais com suas comunidades de origem.

Andréia Brito de Souza e Claudimara Cassoli Bortolotto também analisam a temática da imigração, só que desta vez o foco é a imigração haitiana para o Brasil na atualidade, em particular as cidades de São Paulo e Cascavel e como esse processo afeta as cidades enquanto espaço de diversidade cultural e o próprio Estado nacional que não pode deixar de lado as demandas desses imigrantes.

Quando lembramos o significado da dimensão religiosa para a formação social da América Latina, e em particular a dinâmica de reconfigurações em suas expressões ao longo do século XX, ganha importância o texto de João Marcos Leitão Santos com um estudo de uma faceta particular que se disseminou no protestantismo latinoamericano a partir dos anos setenta do século passado, que foi a associação de intelectuais leigos e teólogos organizados em associações de diversos perfis, e com menor grau de vinculação institucional com as denominações protestantes, no caso, o autor investiga as gêneses da Fraternidade Teológica Latinoamericana / FTLA a partir do seu emblemático encontro de Jarabacoa, Costa Rica, em 1983.

Celso Gestermeir do Nascimento – Doutor. Professor de História da América da Unidade Acadêmica de História e Professor da Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Campina Grande.


NASCIMENTO, Celso Gestermeir do. Apresentação. Mnemosine Revista. Campina Grande, v.6, n.4, set. / dez., 2015. Acessar publicação original [DR]

Acessar dossiê

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.