História (São Paulo), principal periódico editado pelos Programas de Pós-Graduação em História da UNESP de Franca e Assis, apresenta aos seus leitores uma nova edição (volume 34, número 1). Além de uma entrevista gentilmente concedida pela medievalista francesa Adeline Rucquoi, que se destacou como diretora de pesquisa do Centre de Recherches Historiques de L’École des Hautes Études en Sciences Sociales e que apresenta uma reflexão sobre sua trajetória como medievalista e sobre o estado dos estudos em história medieval na França atual, o número traz um instigante conjunto de textos dedicados à árdua tarefa de compreender a edificação, entre os séculos XIII e XVIII, de dois mundos que, ao longo de suas histórias, estiveram em vários aspectos fundidos ou, ao menos, articulados.

Resultado da colaboração de historiadores portugueses e brasileiros, o dossiê Escritos e Imagens do Mundo Luso-Brasileiro (séculos XIII-XVIII) conta com estudos que abordam aspectos políticos, sociais e culturais das sociedades portuguesa e brasileira e contemplam desde instrumentos administrativos até formas de saber partilhados ao longo dos séculos em questão. Da configuração do mundo urbano vista a partir de textos produzidos por órgãos e poderes administrativos portugueses dos séculos XIII ao XV, passando por outras facetas institucionais – como os instrumentos legais de justiça, a corregedoria do reino português, a centralização do poder, as medidas preventivas e as práticas terapêuticas – e pelo universo das crenças religiosas e políticas, o dossiê invade o terreno dos escritos e das imagens e sua força nos diálogos atlânticos.

Na seção de artigos de temática livre, o leitor deparar-se-á com diversos estudos sobre temas políticos e intelectuais. Entre os principais pontos abordados destacam-se: a difusão da propaganda fascista no Estado de São Paulo e suas consequências nas relações diplomáticas entre o governo brasileiro e Mussolini, entre as décadas de 20 e 40 do século XX; a peculiar interpretação do Estado Novo, realizada nos anos 40 pelo ideólogo e editor da revista Cultura Política, Almir de Andrade; e o estudo do Carimbó, “expressão típica da musicalidade cabocla do Pará e da Amazônia”. Ilustram ainda a seção análises sobre: as crenças e temores de homens e mulheres das Minas Gerais do século XVIII, as relações políticas entre o governador paranaense Ney Braga e o presidente João Goulart como pano de fundo do “golpe civil-militar de 1964” no Paraná; a relação entre a apropriação da terra e a criação de porcos na área da chamada Floresta Ombrófila Mista; e, finalmente, sobre a reforma da instrução pública colocada em prática nos anos 20 do século passado. O presente número da História (São Paulo), dando continuidade à sua proposta de difundir não apenas artigos originais, traz ainda sua já tradicional seção de resenhas.

O Conselho Editorial da História (São Paulo) gostaria, por fim, de agradecer ao CNPq e à Pró-Reitoria de Pesquisa da UNESP pelos suportes financeiros concedidos e, em especial, à Professora Livre-Docente Susani Silveira Lemos França, pesquisadora do PPG-História da UNESP de Franca, pelo empenho dedicado à publicação bilíngue do dossiê que nomeia esta edição.

José Carlos Barreiro – UNESP – Campus de Assis

Ricardo Alexandre Ferreira – UNESP – Campus de Franca 


BARREIRO, José Carlos; FERREIRA, Ricardo Alexandre. Apresentação. História (São Paulo), Franca, v.34, n.1, 2015. Acessar publicação original [DR]

Acessar dossiê

Deixe um Comentário

Você precisa fazer login para publicar um comentário.