Atual

BR 315 Km 315 Floresta-PE Foto IF
BR 315, Km 315, Floresta-PE | Foto: IF

Resenha Crítica. Aracaju & Crato, v.1, n.7, 06 out. 2021. ISSN 2764-0302


Colegas,

Chegamos à sétima edição* do informativo Resenha Crítica, comemorando o arrefecimento da pandemia de Covid-19 e o fracasso do autogolpe de Estado anunciado pelos ultraconservadores para as comemorações do dia da Independência do Brasil.

No mês de setembro, vivemos a entressafra de publicações em revista. Os poucos dossiês em circulação destacam o ataque terrorista às Torres gêmeas no 11 de Setembro de 2001, a força das direitas e as consequências Pandemia.

Entre as resenhas, sugerimos atenção aos trabalhos sobre fascismo e cinema, marxismo, esquerda e política no Brasil e história das ciências, focada na experiência de geógrafos.

No mesmo período, incorporamos 5 periódicos dos domínios da História e da Educação (incluindo dois títulos publicados no Chile) e divulgamos os sumários de 11 revistas. Isso significa que os índices de objetos de dossiê e de  objetos de resenha estão um pouco mais ricos. Fiquem à vontade para consultá-los.

Saúde e trabalho para todos nós!

Itamar Freitas e Jane Semeão (Editores)

 

(*) Para receber a listagem de todas as nossas publicações, mensalmente e sem custos, faça o seu cadastro aqui.

Resenhas

Dossiês

Sumários

Periódicos recentemente incorporados ao acervo

Conheça a totalidade do acervo

Para adequado uso do espaço na página inicial deste blog, destacamos apenas algumas resenhas, dossiês, sumários e apresentações de periódicos recentemente incorporados ao acervo em cada edição mensal do Resenha Crítica.

A quantidade de textos, porém, se altera à medida que incorporamos novos periódicos, retroativamente, aos nossos bancos de dados.

Para conhecer a totalidade das aquisições de resenhas, apresentações de dossiês e sumários, publicados originalmente no período 1839-2021, utilize os filtros da barra lateral.

 


Resenha Crítica. Aracaju & Crato, v.1, n.7, 06 out. 2021.

ISSN: 2764-0302

Representatividade na citação e exaustividade na busca são imperativos morais para o pesquisador acadêmico.